Director Carlos Rosado de Carvalho

Injecção de divisas aumentou 10% em 2017 face ao ano anterior

Injecção de divisas aumentou 10% em 2017 face ao ano anterior

O sector petrolífero foi o que mais beneficiou das divisas vendidas pelo BNA, tendo recebido 2,2 mil milhões USD dos 12,2 mil milhões disponibilizados. Durante o ano de 2017, a subida tímida do preço médio do barril
de petróleo nos mercados internacionais não se reflectiu, positivamente, nas Reservas Internacionais.

A injecção de divisas pelo Banco Nacional de Angola (BNA) aos bancos comerciais que operam em Angola aumentou 10,4% no ano passado, comparativamente ao mesmo período de 2016, fixando-se no equivalente a 12,2 mil milhões USD contra os pouco mais de 11 mil milhões USD cedidos em 2016, segundo cálculos do Expansão a partir do mapa de venda de divisas do banco central.
A escassez de dólares no BNA em 2017 fez disparar o preço da nota "verde" nas "kinguilas", originando consequências negativas na economia, uma vez que o diferencial entre a taxa de câmbio praticada pelo banco central e o mercado informal foi muito acentuado, com enormes benefícios financeiros e ilegais para quem actuou no mercado paralelo. Em Novembro do ano passado, por exemplo, a taxa média de câmbio no mercado informal de Luanda atingiu os 400 Kz, por um dólar, enquanto a taxa do mercado oficial rondava os 166 Kz.

(Leia o artigo na integra na edição 454 do Expansão, de sexta-feira 05 de Janeiro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i