Director Carlos Rosado de Carvalho

EUA tornam-se o terceiro país onde os angolanos procuram formação

EUA tornam-se o terceiro país onde os angolanos procuram formação
Foto: Adjali Paulo

Administração pública, gestão de empresas e gestão escolar são os cursos com maior número de estudantes angolanos nos EUA. O conselheiro educacional da Embaixada dos EUA garante que, com 28 mil USD, qualquer estudante estrangeiro consegue estudar numa universidade naquele país.

Depois de Portugal e Brasil, os Estados Unidos da América tornaram-se o terceiro país onde há mais angolanos a frequentar o ensino superior, com 1.300 estudantes, segundo a embaixadora dos Estados Unidos em Angola, Nina Maria Fite.
Os cursos de administração pública, gestão de empresas e gestão escolar são os que têm maior número de estudantes angolanos.
A embaixadora dos Estados Unidos em Angola explicou, durante a terceira edição da Feira sobre o Ensino Universitário nos EUA, que o seu governo está dedicado a apoiar o ensino superior de qualidade no mundo, especialmente em África, incluindo Angola.
"O ensino superior é fundamental para o desenvolvimento de qualquer país. Fazer a formação nos Estados Unidos permite que os estudantes sejam mais competitivos no mercado global e ajuda a ampliar a sua rede de contactos", afirmou.
De acordo com a diplomata, que fez referência ao relatório anual do Departamento de Estado, documento que monitoriza o número de estrangeiros que estudam nos EUA, em 2017, havia 1.300 estudantes angolanos nos Estados Unidos.

(Leia o artigo na integra na edição 466 do Expansão, de sexta-feira 29 de Março de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i