Saltar para conteúdo da página

EXPANSÃO - Página Inicial

Empresas & Mercados

A The Business Year realizou em Luanda o "The Angolan Development-Roundtable"

DEBATE COM OS OPERADORES NACIONAIS

O evento foi co-organizado pela AIPEX e apoiado pela Câmara de Comércio e Indústria de Angola e pela ANPG, tendo dado particular destaque ao contributo da digitalização e sustentabilidade.

A The Business Year juntou em Luanda alguns dos mais importantes operadores de sectores considerados cruciais para a economia angolana - petróleo e gás, mineração, finanças, tecnologias de informação e indústria - num evento designado "The Angolan Development-Roundtable". O evento foi aberto por António Henriques da Silva, Presidente da AIPEX, que falou sobre os esforços contínuos da sua organização para ajudar no desenvolvimento económico do País e mudar a percepção internacional sobre Angola como destino de investimento.

Uma comunicação que se centrou na captação de investimento estrangeiro para alguns projectos estruturantes, nas vantagens que o sector pode oferecer, mas também na especificação de algumas medidas que têm vindo a ser tomadas no sentido de melhorar o ambiente de negócios, que como se sabe ainda tem inúmeros problemas no nosso País.

As condições oferecidas aos investidores esbarram muitas vezes nas condições precárias que o País oferece em termos de infra-estruturas e serviços básicos, uma enorme burocracia na maioria dos serviços públicos, ministeriais e provinciais, a escassez de capital humano com nível de formação adequado, uma máquina fiscal agressiva e uma interferência excessiva do Estado na actividade privada.

As contrapartidas assentam depois em benefícios fiscais e compromissos de compra de parte da produção pelas instuições públicas, que quando não cumpridas, levam a que os projectos acabem por não se desenvolver. Além de distorcerem o mercado, não promovem a livre concorrência, afastam os "bons" empresários e atraem os que estão dispostos a correr menos riscos e que não se preocupam muito com a eficiência das empresas.

Foi também orador deste evento o ministro da Economia, Mário João, que centrou a sua intervenção no novo Plano de Desenvolvimento 2023-2027, explicando que se "trata de um programa arrojado de dinamização do capital humano, infraestruturas e diversificação da economia". Pelo sector privado estiveram Benedito Paulo, CEO da Catoca, Natacha Massano, Administradora Executiva da ANPG, Luis Troso, CEO do Grupo SANEP, Jorge do Amaral, CEO da Alcaal Angola, e Philippe Alliali-Die, CEO da SANLAM Seguros Angola.

Estes cinco debateram o potencial da agricultura, a produtividade industrial, as políticas de extracção sustentável de minerais e diamantes, os desafios da produção de petróleo e as perspectivas de investimento no sector de seguros. O evento completo estará disponível para assistir online em breve na thebusinessyear.com.