Optimismo regressou aos mercados

Optimismo regressou aos mercados

Sector do petróleo tem reagido em alta à reabertura das economias e aos apoios financeiros de vários países, como o Japão, ou da União Europeia. Bolsas norte-americanas seguiram tendência mundial e também subiram.

Os históricos altos níveis de volatilidade que se verificaram durante a implementação dos lockdowns a nível global começa agora a deixar de se observar. Por exemplo, o VIX Index (um indicador que mede a volatilidade através da análise do preço das opções das acções que compõem o índice bolsista S&P500) inverteu a tendência de subida, descendo do pico de 83 pontos atingido em meados de Março para os actuais 28 pontos.

No mercado de petróleo, o Brent teve um um ganho semanal de 2,42% para 36,17 USD e o WTI subiu 4,03% para 34,35 USD por barril. Na última sexta-feira, a consultora Baker Hughes reportou uma redução de 167 equipamentos de exploração (drilling) petrolífera em todo mundo face à semana transacta. Esta informação, que é normalmente utilizada como um indicador de produção futura, apontou para uma menor oferta da matéria-prima nos próximos tempos, o que, juntou-se à queda dos stocks petrolíferos dos EUA e à retoma gradual do consumo de combustíveis e beneficiou os preços do crude.

Os últimos dias ficaram também marcados pela manutenção dos juros pelo banco central do Japão, que decidiu lançar novo programa de empréstimos no valor equivalente a 279 mil milhões de USD para ajudar pequenas e médias empresas do país. A medida mereceu reacções positivas das bolsas nipónicas, que fecharam a semana com valorizações acima de 4%. (...)


(Leia o artigo integral na edição 576 do Expansão, de sexta-feira, dia 29 de Maio de 2020, em papel ou na versão digital disponível aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i