Centros regionais de vigilância marítima custam 28,3 milhões USD

Centros regionais  de vigilância marítima  custam 28,3 milhões USD
Foto: D.R.

O Presidente da República autorizou a despesa de 28,3 milhões USD, para a construção e apetrechamento dos centros regionais de vigilância marítima no município do Lobito, em Benguela, e no Namibe, empreitadas que serão executadas por ajuste directo.

Duas infra-estruturas estratégicas para o apoio às Forças Armadas Angolanas (FAA).

De acordo com o decreto presidencial n.° 144/20, de 9 de Outubro, João Lourenço justifica a medida com o reforço da capacidade operativa das FAA, no caso a "Marinha de Guerra", de forma que a mesma esteja pronta para responder aos grandes desafios da época moderna.

Para a construção e apetrechamento do Centro Regional de Vigilância Marítima do Lobito, em Benguela, o Estado vai desembolsar 14,1 milhões USD, sendo que as infra-estruturas do Namibe estão avaliadas em 14,2 milhões USD.

O Chefe de Estado atribui responsabilidade à administração da empresa SIMPORTEX-E.P, para proceder à contratação da empresa "Quenda", para a execução das obras na região do litoral sul. Desta feita, de acordo com o diploma, é autorizada a despesa e abertura do procedimento de contratação simplificada, pelo critério material, para adjudicação no regime de concepção/construção, dos centros de vigilância marítima.

(Leia o artigo integral na edição 596 do Expansão, de sexta-feira, dia 16 de Outubro de 2020, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i