Director João Armando

Reservas Internacionais já só dão para 5 meses de importações

Reservas Internacionais já só dão para 5 meses de importações
Foto: Lídia Onde

As RIL estão hoje a valores de 2007 antes do "boom" dos preços do petróleo. Desde 2014 já perderam mais de metade do seu valor, asfixiadas pela procura de divisas para importação de bens que tardam em ser produzidos no País, mas também de serviços.

As Reservas Internacionais Líquidas (RIL) caíram 65% desde Abril de 2014 para 10,8 mil milhões USD e já só garantem cinco meses de importações de bens e serviços, contrariando os objectivos do Governo que apontavam à garantia de 8 meses de importações de bens diversos como alimentos, maquinarias ou matérias-primas.

Depois de ter caído em Março para 10,3 mil milhões USD, o valor mais baixo desde Outubro de 2007, em Abril as RIL subiram 5% para 10,8 mil milhões USD, longe dos 30,7 mil milhões que "valiam" no mesmo mês de 2014.

Em Setembro de 2017, aquando da tomada de posse de João Lourenço, as RIL valiam 15,2 mil milhões de USD, o que significa que desde essa altura, o País já perdeu 4,3 mil milhões USD. E a "culpa" é não só do petróleo, e da sua crise de preços, mas também de se manterem as pressões sobre as divisas para suportar a importação de mercadorias e serviços.

"No ano passado, por exemplo, vendemos 13 mil milhões USD ao mercado e 55% deste valor tem sido usado para a importação de mercadorias e 40% para a compra de serviços. Ao manter- se esta trajectória e também a maneira como são utilizadas as reservas internacionais, podemos cair na insustentabilidade", admitiu o administrador do BNA Pedro Castro e Silva, durante a conferência "Sustentabilidade das Reservas Internacionais", promovida esta semana pelo Banco Nacional de Angola. (...)


(Leia o artigo integral na edição 525 do Expansão, de quarta-feira, dia 24 de Maio de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i