Saltar para conteúdo da página

EXPANSÃO - Página Inicial

África

Parceiros aprovam plano de 98 mil milhões USD para transição energética de África do Sul

PLANO DE 5 ANOS AVANÇA COM 8,5 MIL MILHÕES USD INICIAIS

Além do sector energético, o plano de investimentos contempla a produção de veículos eléctricos na África do Sul e projectos de hidrogénio verde. Plano foi apresentado no primeiro dia da COP27, no Egipto.

O grupo de parceiros internacionais, liderado pelo Reino Unido, aprovou esta segunda-feira, 7, o programa de financiamento do plano de transição energética da África do Sul, lançado no ano passado na COP26, realizada em Glasgow, com custos estimados em 98 mil milhões USD.

A parceria para assegurar o financiamento do Just Energy Transition (JET) da África do Sul integra, além do Reino Unido, a Alemanha, França, Estados Unidos e União Europeia e abrange três sectores prioritários, apresentados pelo Presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, na COP27, que decorre em Sharm el-Sheikh, no Egipto, até ao dia 18 de Novembro. Além do sector energético, que assegura a transição do carvão para energias alternativas, o plano de investimentos do JET contempla o desenvolvimento de veículos eléctricos na África do Sul e projectos de hidrogénio verde, segundo a declaração conjunta dos parceiros do Just Energy Transition Partnership (IPG, na sigla em inglês).

O plano, referem, é escorado numa abordagem "justa", visando "assegurar que aqueles que são mais directamente afectados por uma transição do carvão - trabalhadores e comunidades, incluindo mulheres e raparigas - não serão deixados para trás".

O grupo de financiadores identifica "98 mil milhões USD em necessidades financeiras ao longo de 5 anos dos 20 anos da transição energética da África do Sul", e contempla tanto investimentos do sector público como do sector privado. O pacote de financiamentos prevê vários mecanismos, incluindo subvenções, empréstimos concessionais, de 45 milhões USD, e instrumentos de partilha de riscos.

Na fase de arranque, os parceiros estão a tentar mobilizar 8,5 mil milhões USD, 2,5 mil milhões USD através dos Fundos de Investimento Climático para Acelerar o Plano de Investimento na Transição do Carvão (CIF ACT). O resto será disponibilizado pelos países e pela União Europeia, cada um entra com mil milhões USD, à excepção do Reino Unido, que assegura 1,8 mil milhões USD.

Transição sustentável e justa

"O Plano de Investimento JET da África do Sul abre o caminho a uma transição sustentável e justa do carvão para formas mais limpas de energia, construindo as bases para uma economia verde forte", sublinhou o o primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak, que preside ao grupo de parceiros, congratulando-se com os avanços registados num ano.

O financiamento do IPG "será alinhado com o Plano de Investimentos e é orientado para a desactivação de centrais carboníferas, financiamento de emprego alternativo em áreas de mineração de carvão, investimentos que facilitarão a implantação acelerada de energias renováveis e investimentos em novos sectores da economia verde".

Além dos 8,5 mil milhões USD, o Banco Mundial aprovou o projecto Eskom Just Energy Transition, que fornece 500 milhões USD à transição energética da África do Sul. O Plano de Investimento CIF ACT apoiará o desmantela[1]mento e a reorientação de três centrais eléctricas a carvão, o desenvolvimento comunitário e projectos de eficiência energética em Mpumalanga. O projecto Eskom Just Energy Transition do Banco Mundial fornecerá financiamento para o desmantelamento e a reconversão de mais uma central eléctrica a carvão.